O que difere um campeão de um vencedor?

1343615967m_SPLASH

Ficamos super felizes de receber algumas cartinhas, textos, emails e toda forma de retorno que vocês nos oferecem. Isso faz com que a cada dia tenhamos mais vontade de poder compartilhar com vocês o que achamos e amamos dessa aventura chamada FLL. Porém, de vez em quando algumas pessoas conseguem nos atingir bem no fundinho do coração e os ninjas cortadores de cebolas nos fazem chorar mais uma vez. :p

Que tal conhecer algumas dessas cartinhas e o tanto que ficamos felizes com elas? Não deixe de compartilhar e divulgar um pouco sobre esses valores que gostamos tanto. Lembrem-se, corevalues são para a vida, não apenas para uma competição! 🙂

Tornar-se ou ser, história de oito vencedores

“Hoje, dia 23/02/2016, 2:08 A.M, dois dias após a fase regional do torneio de robótica da First LEGO League, não consegui dormir ainda! Nós (equipe Warrios) recebemos a notícia de que a Instituição a qual pertencemos não irá custear a viagem até Brasília, onde será realizada a etapa Nacional do torneio. Tal fato veio de surpresa e nos deixou muito tristes. Nessas horas a qual estive deitado em minha cama, sozinho, fiquei pensando em nossa trajetória até aqui, relembrando cada passo e descobri uma grande dúvida -O que faz alguém vencedor?
Ontem, dia 22, quando cheguei na escola, uma pessoa não relacionada a equipe disse para eu analisar uma situação friamente, mostrou-me três números e fez uma comparação entre eles. Um número representava a nossa melhor pontuação na arena, outro representava a do campeão do dia e um terceiro representava a pontuação média de outras equipes em uma fase Nacional. Completou dizendo que teríamos que alcançar outros níveis, talvez deveríamos desistir e economizar esforços!
No entanto, algo sempre esteve muito claro em minha mente, creio que na de vocês também! Aquilo que aprendemos é melhor do que aquilo que conquistamos. Com certeza, ganhar e ser reconhecido é MUITO bom, porém, há outras coisas que também são extremamente importantes, como novos valores e aprendizagens somadas a nossa.
Pergunte a si o motivo cujo nós nos entristecemos! O que será que passa em sua mente? Eu não consigo saber aquilo que pensa, porém quero que conheça tal razão. Alguns diriam que o motivo é não podermos conquistar um troféu, ou trazer um título para nossa escola e cidade, mas não é só isso! A questão nunca foi ganhar ou perder, sempre foi aprender.
Caso não consigamos ir até Brasília, passará uma chance única em nossa história, deixaremos de trilhar um caminho que nos conduziu ao aprendizado de lições imprescindíveis a nossa carreira pessoal e profissional. Sabe qual é a diferença entre campeões e vencedores? Aparentemente, não há nenhuma, certo? Já particularmente, enxergo tal diferença! Tornar-se um Campeão significa realizar grandes feitos em um determinado momento que lhe garantam um reconhecimento e prestígio perante outros indivíduos. Ser um Vencedor é conquistar prêmios que nem sempre lhe garantem reconhecimento ou prestígio, prêmios que não são alcançados se baseando em um único período de tempo, que muitas das vezes nem sequer são almejados ou representados materialmente. Todavia, se tratam de valores que inesperadamente são agregados a nossa trajetória e jamais poderão se desprender dela.
Finalmente posso responder à pergunta a qual fiz a mim mesmo! E não se prepara um vencedor, é parte de sua natureza, de sua capacidade de incorporar valores positivos a si. Nós somos a equipe Warrios, a qual, embora esteja participando pela primeira vez de um torneio de robótica, provou que é capaz, combateu as adversidades que surgiram pelo caminho e lutou persistentemente por seus objetivos, alcançando marcas grandiosas, como uma equipe veterana. Classificados para a etapa Nacional e Campeões do Designer Mecânico do Robô. Agora, contamos com apoiadores que possibilitem mostrarmos nossos valores a pessoas de todo o país, mostrar aquilo que aprendemos, planejamos e criamos! Prezando em todo momento por uma característica específica, a qual pode ser resumida em uma única palavra… INOVAÇÃO!!!
Thiago Mollina Rocha – WARRIORS”

projeto-importacao-material-pesquisa-cientifica

Passei para o Nacional, e agora?! Parte 3 – Pesquisa!

Goooooooood moooorning Vietnaaammmm! Bom dia galera do bem, espero que estejam todos bem. Para quem não entendeu nada desse oi “alto astral”, segue o link com algumas cenas desse filme muito bacana: Bom dia, Vietnã. No final do post prometo que essa dica vai fazer sentido! 🙂

Mas agora, vamos ao que interessa! A etapa nacional está chegando. Em pouco menos de duas semanas já será hora de viver toda a alegria, tensão e emoção de um torneio novamente. Hora de juntar as peças para o robô realizar o máximo de missões possíveis, de relaxar e curtir a apresentação de Core Values e por fim, de apresentar novamente o seu Projeto de Pesquisa.

 

Nesta etapa da temporada é muito provável que tudo esteja bem encaminhado em sua equipe, afinal de contas, a classificação para etapa nacional pressupõe um bom desempenho nos torneios regionais. Mas isso não significa que não exista possibilidade de melhoria do Projeto de Pesquisa ou que não seja necessário nenhum tipo de preparação. Por isso, vou repassar algumas dicas importantes para que você e sua equipe possam ter a melhor experiência possível em Brasília!

 
Revisão do Projeto
  • Dediquem algum tempo para ler e discutir todo o seu projeto de pesquisa novamente. É normal que vocês não tenham feito isso nos últimos meses, sobretudo as equipes que participaram das etapas regionais ainda em 2015. Neste momento, o ideal é envolver toda equipe, independente da área de atuação prioritária de cada membro.
  • Conheçam a rubrica! Os critérios para avaliação são muito claros e objetivos. Busquem identificar itens ou informações que podem não estar totalmente claros, principalmente na sua apresentação. Segue o link do Portal da Indústria para as rubricas.
Preparação final
  • Simular a apresentação para professores, pais, colegas ou amigos sempre é uma ótima ideia. Será útil para que “testem” o domínio do conteúdo, mais uma vez. Ainda, podem surgir dúvidas que vocês não haviam sequer imaginado sobre o seu projeto e que podem ser úteis para seu aprimoramento.
  • Não tenham receio de corrigir possíveis falhas encontradas ou de compartilhar novas descobertas que podem ter ocorrido neste período entre o regional e o nacional. Os juízes tendem a apreciar (embora isso não seja obrigatório) que sua pesquisa tenha evoluído nesse período, com compartilhamento para novos grupos ou com novas descobertas.
  • Considerando que esta etapa não será realizada na sua cidade, é sempre prudente conferir todo material necessário para apresentação (maquetes, apresentações, cartazes, etc). Tenham sempre um backup dos arquivos e lembrem-se que pode não haver internet nas salas de avaliação, por isso, manter uma cópia somente na “nuvem” (serviços como Google Drive, Dropbox, OneDrive, entre outros) pode ser arriscado. Mantenham uma cópia física.
No dia do torneio
  • Pontualidade é essencial! Na etapa Nacional tudo assume uma proporção maior, inclusive o local do evento. Dediquem algum tempo para conhecer bem o local e para que possam estimar o tempo necessário para deslocamento até as salas de avaliação. Chegar no horário para avaliação é garantia de tranquilidade na apresentação.
  • “Combinar o jogo” antes de entrar na sala pode ajudar bastante. A organização mínima das tarefas de preparação da sala, como quem irá conectar o pendrive para apresentação, segurar os cartazes ou as maquetes permitirá que vocês organizem-se de forma mais rápida e eficaz. Você já sabe mas não custa repetir: na FLL organização é sinônimo de tranquilidade! 
  • Apresentem seu projeto de pesquisa com tranquilidade e tenham orgulho do que alcançaram. Tenham cuidado com a dicção e a postura dos membros da equipe: procurem falar alto e claro. Não tenham receio de aproximar-se dos juízes para que escutem ou compreendam melhor a apresentação. Durante a apresentação, a sala é de vocês!
  • Aproveitem bem o momento das perguntas dos juízes após a apresentação, para esclarecer alguma dúvida que pode ter restado. Os juízes conduzirão essa conversa. Lembrem-se de manter a postura e os Core Values durante todo o processo!
  • Divirtam-se, muito!
Lembrem-se: imprevistos acontecem, lide com eles com tranquilidade. Se algo não sair exatamente como o planejado, isso não deve ser motivo de desespero. Os juízes tendem a ser extremamente compreensivos e estão focados na sua experiência como equipe dentro da FLL.
 
Por fim, estou devendo uma explicação do bom dia maluco do início do post: a mensagem que gostaria de transmitir é que a maneira como encaramos os fatos em nossas vidas é decisiva para os resultados que alcançamos, sobretudo nas adversidades. Na história do filme, Adrian Cronauer é recrutado para comandar o programa de rádio das forças armadas estadunidenses durante a guerra do Vietnã. A maneira irreverente e “bem humorada” com que o programa era apresentado conseguia trazer um pouco de paz e alegria para soldados que enfrentavam uma guerra (diga-se de passagem, uma das mais tristes invenções do homem).
 
Aproveitem esse evento maravilhoso e divirtam-se muito. A felicidade é contagiante e deve ser o sentimento dominante nestes dias de torneio!
 
Nos vemos lá! 🙂
52882231

Passei para o Nacional, e agora? Parte II – Core Values

Bom dia galera que acompanha o Aprenda Robótica! Saudades de conversar com vocês!

Pois bem! O Nacional se aproxima e com ele as exigências aos times vão aumentando. E para auxiliar as equipes a se prepararem cada vez mais elaboramos alguns posts referentes a cada área da competição. E, como não poderia ser diferente, eu gravei um vídeo falando um pouquinho sobre os Core Values.

Você está convidado a passar os próximos 10 minutos fazendo uma reflexão comigo sobre alguns dos principais pontos da avaliação em sala. Vamos nessa?

 

52882231

Espero que o post possa auxiliar vocês a obterem avaliações melhores, mas principalmente, espero que este post os façam refletir sobre pontos importantes a serem construídos individualmente e coletivamente.

 

Trabalhem bastante, evoluam e construam histórias de sucesso. O único local onde o sucesso vem antes do trabalho… é no dicionário. Então bora trabalhar galerinha?

Fiquem com meu carinho, beijos e até a próxima! =)

 

Com amor e GP, Paulinha. <3

ferias

Férias

Olá pessoal, tudo bom? à partir de hoje entraremos em um pequeno recesso. Como todos sabem esse foi um ano de muita correria e trabalho pesado, por isso, nossos cientistas e robôs precisam descansar um pouco, tirar um pouco de óleo das mãos e descansar um pouco e colocar os pés na areia…

Esperamos encontrá-los em janeiro com força total e desejamos desde já um feliz natal e um ano novo cheio de realizações para todos vocês!

Equipe Aprenda Robótica

secret1

Missão Secreta – Divulgação Oficial

Olá pessoal, tudo bem?
Sei que muitos tem o interesse em divulgar sobre a resolução do segredo do tapete, assim como sei que vários também não sabiam, mas existe um segredo em cada tapete de cada temporada da FLL. Sim é verdade! Todso os anos a FIRST insere em seus tapetes algum tipo de segredo que deve ser descoberto/traduzido/descriptografado e as equipes que conseguirem chegar ao resultado devem divulgar essa informação.

Se a sua equipe foi capaz de descobrir a mensagem secreta prepare-se! Se você não sabia mas ainda tem vontade de participar, não perca tempo! Segue abaixo a tradução de como você deve participar, assim como o link oficial da página para a publicação da sua divulgação ok?

Antes de tudo, gostaria de apresentar a vocês quem serão os juízes internacionais desse desafio:

Ana Siqueira é brasileira e tem 27 anos. É engenheira mecatrônica e pós graduada em em Pedagogia para Negócios além de possuir também um Green Belt em Qualidade. Ela fala Inglês e Espanhol e trabalha há mais de 5 anos na Rockwell Automation. Ela trabalha com Business Inteligence em toda América Latina e começou a se envolver com a FLL em 2012 durante a temporada Senior Solutions. “A cada ano eu tento ir ao máximo de eventos que posso pois em cada um eu aprendo muito com as crianças, posso dizer que sou uma viciada em FLL!” Eu acredito que me tornei uma pessoa e uma profissional melhor depois das minhas experiências com FLL!

 

Meu nome é Susann Zehl (@szehl) tenho 36 anos e sou da Alemanha. Sou uma das novas organizadoras da Europa Central do time do  HANDS on TECHNOLOGY e.V. Está trabalhando desde agosto deste ano com o departamento de FAQ e Mídias Sociais. É graduada em Publicidade e têm experiência em companhias de parques de diversões, exibições de ciências e gerenciamento de eventos. “Estou muito feliz em fazer parte do Júri do desafio online desse ano.”

 

Por último mas não menos importante, fui convidado a fazer parte desse time de juízes. Pra quem não me conhece, sou o Gui Lima, tenho 31 anos e trabalho em uma empresa indiana de Tecnologia aqui no Brasil. Sou responsável por cuidar de toda a américa latina das soluções de email de uma multinacional. Após as horas de trabalho na empresa dou aulas em alguns colégios de Belo Horizonte para crianças de 9 a 12 anos sobre Robótica com LEGO. Sou um dos fundadores do AprendaRobótica e estou muito feliz por poder participar e representar o nosso querido Brasil nessa competição.

 

Agora que você já conheceu os juízes desse ano, quer saber como participar do desafio secreto?

O Desafio

Primeiramente queremos que vocês se divirtam durante a competição pois isso é muito importante tanto para a FIRST quanto para a LEGO Education.

Para o desafio da FIRST LEGO League desse ano nós queremos ver que você e seu time conseguiram realizar a missão de triagem da forma mais efetiva/inspiradora/inovadora e compartilhar com a comunidade. Em segundo lugar do desafio é que você deve resolver a mensagem escondida e publicá-la no site da FIRST LEGO League – www.firstlegoleague.org. Dica: Não é só O QUE você faz, mas COMO você faz.

  1. Primeiro desafio: Resolva a missão de Tiragem da TRASH TREK em no máximo 30 segundos e compartilhe a sua experiência na comunidade do site oficial. Por favor não se esqueça de explicar como vocês conseguiram resolver e compartilhe sua ideia de como conseguiram colocar as barras recolhidas nas Bandejas.
    Como fazer? Enviar um vídeo ou um texto com apenas uma página incluindo fotos.
    Quando? De 16/12/2015 até 26/02/2016.
  2. Segundo desafio: Resolva a mensagem secreta no site global e compartilhe em sua comunidade. Você pode apresentar o segredo resolvido em um vídeo ou um texto com fotos ou imagens do que o segredo representa pra você.
    O que fazer? Enviar um vídeo de 30 segundos ou uma página incluindo fotos.
    Quando? de 26/02/2016 até 31/03/2016.

Atenção: Se você estiver fazendo um vídeo, por favor coloque-o no YouTube, Vimeo ou outro site de compartilhamento e compartilhe o link na comunidade. Você também pode compartilhar no link da FIRST no fll-media@usfirst.org

Compartilhe sua solução

Utilize a #TRASHTREKsecret para compartilhar sua solução com a Comunidade e ajude a divulgar para outros times o desafio desse ano.

Premiações

O time vencedor levará para casa um kit:

  • LEGO® MINDSTORMS® Education EV3 class set e uma sacola de surpresas da FIRST

45544_713x380_MainProduct

O vencedor será contactado diretamente por email pela Comunidade da LEGO Education e será anunciado também no FIRST LEGO League World Festival em St. Louis, EUA.

Espero muito ver a entrada de todos lá pelo site ok?

INFORMAÇÕES OFICIAIS APENAS AQUI: https://community.education.lego.com/t5/STEM-Competitions/TRASH-TREK-The-Secret-Mission/td-p/12278

Enjoy!

20ec9b3

Passei para a fase do Nacional, e agora? – Parte 1

20ec9b3

Olá pessoal, estamos muito felizes de termos encontrado vocês em todos os cantos do país! As regionais foram sensacionais e nos deram ainda mais vontade de escrever e compartilhar um pouco de todo o carinho e dicas do que vemos e observamos com vocês. Em todas as regionais tivemos várias indicações de como temos ajudado pelo menos um pouquinho em todos os valores que dividimos com vocês. E nada mais justo do que continuar fazendo esse trabalho não é mesmo?

Sabemos que muitos de vocês foram convidados a representar as suas regionais no desafio nacional que acontecerá em brasília de 18 à 20 de Março/2016. Mas sabemos que vários de vocês também precisam trabalhar em diversos aspectos como estratégias, desempenho, apresentações, soluções inovadores e pesquisa. Para isso, o nosso time irá indicar algumas soluções rápidas que poderão lhes direcionar nos assuntos mais marcantes de cada área.

Design do robô

Para começar devemos discutir sobre um assunto muito sério, as regras. Sim as regras estão sendo em várias ocasiões esquecidas, puladas ou ignoradas. O entendimento sobre elas é essencial e faz toda a diferença para uma boa apresentação. Todos esses materiais estão disponíveis no Portal da Indústria.
O primeiro ponto que devemos saber é que as equipes serão avaliadas, e algumas dessas informações apresentadas aqui foram retiradas das regras, vamos conhecê-las?

A equipe pode apresentar o sumário executivo (SEDR) no início da sessão de avaliação de Design do Robô. A apresentação inteira, incluindo a demonstração do funcionamento do robô e a explicação dos códigos de programação, não deve demorar mais tempo do que 7 (sete) minutos. Após sua apresentação os juízes irão fazer algumas perguntas sobre o robô para que seu time possa responder. Você não é obrigado a fornecer uma versão impressa para os juízes.

Estrutura básica: O SEDR deve incluir os seguintes elementos: Dados do Robô, Detalhes de Projeto e uma demonstração de funcionamento.

Dados do Robô: Compartilhe com os juízes um pouco sobre o seu robô, como por exemplo, o número e tipo de sensores, sistema de locomoção, número de peças, bem como o número de anexos/garras. Os juízes também gostariam de saber sobre a programação que seu time desenvolveu, o número de programas, a quantidade de memória usada por cada programa e qual programa completou as missões de maneira mais consistente.

Detalhes de Projeto:

1. Diversão: Descreva a parte mais divertida e interessante do projeto do robô, bem como as partes mais desafiadoras. Se o seu robô tem um nome, quem escolheu o nome e por quê. Se seu time tem uma história divertida sobre seu robô sinta-se livre para compartilhar.

2. Estratégia: Explique estratégia e raciocínio de seu time para a escolha e realização das missões. Fale um pouco sobre quão bem-sucedido foi o seu robô em completar as missões que você escolheu. Os juízes podem gostar de ouvir sobre a sua missão favorita e por que ela é a sua favorita.

3. Processo de Design: Descreva como sua equipe projetou seu robô e que processo você usou para fazer melhorias com seu projeto ao longo do tempo. Resumidamente compartilhe como diferentes membros do seu time contribuíram para o projeto e como você incorporou todas as ideias.

4. Projeto Mecânico: Explique aos juízes estrutura básica do seu robô, como você se certificou que seu robô é durável e como você o tornou fácil para reparar ou adicionar/remover anexos. Explique aos juízes como o robô se move, e quais mecanismos ou garras ele usa para completar as missões.

5. Programação: Descreva como você programou o seu robô para garantir resultados consistentes. Explique como você organizou e documentou seus programas, bem como, se os seus programas utilizam sensores para saber (e garantir) o posicionamento do robô no tapete.

6. Inovação: Descreva todas as características de seu projeto do robô que você sente que é especial, diferente ou especialmente inteligente. Demonstração de Funcionamento: Demonstrar o funcionamento do seu robô para os juízes realizando a missão ou missões de sua escolha. Por favor faça não demonstre uma partida completa, será necessário tempo para que os juízes façam perguntas a seu time.

Viram como é fácil? Tendo alguns desses aspectos prontos para sua apresentação, tenho certeza que todos os componentes da sua equipe saberão como apresentar e dividir o conhecimento adquirido durante essa temporada com os juízes em tão pouco tempo.

Espero que possa ter dado uma luz para o início da próxima temporada! Em breve teremos mais! Aguardem!
Ah, em breve teremos uma promoção de natal aqui no post, quem quer participar? 🙂

Que a força esteja com vocês! I have a good feeling about this!
Gui Lima

TopImg17

APRESENTE SUA PESQUISA EM 3, 2, 1…

TopImg17

Olá galera, tudo bem? Depois de realizar todas as etapas do processo de pesquisa, chegou o momento de compartilhar o trabalho com os juízes de modo criativo e organizado. Respirem fundo, mantenham a calma e deem um show! Pode dar um friozinho na barriga, mas com o conhecimento e propriedade do assunto terão mais confiança e tudo fica mais fácil. Esta será uma, de muitas apresentações, que farão em suas vidas acadêmica e profissional.

As apresentações podem ser na forma de canção, paródia, teatro, entrevista, dança, encenação, entre outras. Podem ter cartazes, banners, maquetes, clipes, figurinos, etc. Usem toda a criatividade e habilidades dos membros da equipe para demonstrarem tudo o que pesquisaram.

Os juízes esperam ser surpreendidos com apresentações ímpares e com conteúdo para preencher o documento oficial. Vale a pena rever os tópicos que foram abordados em post anteriores e, que precisarão ficar claros na apresentação:

testeira_marcia

Imagem: Hissao Design

Os requisitos para a apresentação da pesquisa são:

todos os membros da equipe devem participar de algum modo na sessão de avaliação;

– apresentação precisa ser ao vivo; caso optem por usar equipamento de mídia, verifiquem se estará disponível com a organização, ou levem tudo que utilizarão. Mas estejam preparados caso eles falhem. Sugiro ensaiarem com e sem os equipamentos de mídia.

– organizem a montagem e a apresentação no tempo estabelecido sem a ajuda de adultos.

barra_blog_marcia

Imagem: Hissao Design

Dicas

Antes do torneio:

– Quando fizerem o roteiro, leiam a rubrica e vejam as informações que precisam “ser passadas” na apresentação;

– Simulem a apresentação para convidados (professores, pais, coordenadores, tios, amigos) eles podem dar opiniões valiosas e a equipe fica mais segura.

– Trabalhem a dicção (fala) e tom da voz dos integrantes para que no momento da apresentação todos compreendam.

No dia do torneio:

– Conheçam o local das avaliações e cheguem um pouco antes do horário do cronograma.

– Um juiz irá receber a equipe na sala da avaliação: entrem, apresentem-se e cumprimentem os juízes.

– Organizem o espaço colocando os materiais conforme a apresentação que planejaram. Dividam o que cada membro da equipe irá fazer neste momento, assim será mais rápido e eficaz.

– Desde a entrada na sala, o tempo já está sendo contado.

– Os juízes irão pedir para tirar foto da equipe antes ou depois da apresentação.

– Sinalizem quando estiverem prontos para iniciar o “show”.

– Após a apresentação, os juízes farão perguntas sobre o projeto. É interessante que todos os membros da equipe estejam apropriados da pesquisa e prontos para responder, pois a pergunta pode ser direcionada para uma pessoa específica. Respeitem quando um colega estiver falando, aguarde-o terminar e complemente a resposta caso acredite ser necessário.

– Caso tenham preparado algum material impresso entreguem aos juízes.

– Recolham o material que levaram, vejam se não esqueceram nada na sala.

As regionais já começaram e espero que estas dicas ajudem a todos. Tenho certeza que iremos ser surpreendidos com as pesquisas e as soluções sobre o lixo. Boa sorte e excelente torneio a todos!!!

Uma fonte diferente de apresentação pode ser conferida nesse vídeo:

Fonte: www.firstlegoleague.org

Abraços,

Márcia Chinem

Fonte: www.usfirst.org

Os torneios chegaram, e agora?! Dicas valiosas para garantir a diversão.

Olá pessoal, tudo bem? Já estamos no final de novembro e o calendário dos torneios já iniciou na semana passada. Os eventos ocorrem até o segundo final de semana de dezembro e depois serão retomados, possivelmente em fevereiro, para os dois regionais de São Paulo e depois para etapa Nacional. Quem sabe sua equipe consegue aquela tão sonhada vaga no World Festival em Saint Louis ou em outros torneios internacionais? Só depende de vocês! 😉

Calendário

Se você está ansioso(a) com o calendário e com o que vai encontrar em cada dia de torneio, não se preocupe. É absolutamente normal e compreensível. Vale lembrar que estamos falando do maior campeonato de robótica do Brasil atualmente. Segundo a notícia da agência de notícias da CNI, a disputa vai acontecer em 11 cidades das cinco regiões do país, envolvendo cerca de 4.200 competidores. Incrível, não é? :O

Considerando que vocês já estão com seus robôs prontos, sua programação “afiada”, com o projeto de pesquisa na ponta da língua e demonstrando com tranquilidade os Core Values, vou aproveitar esse espaço para novamente deixar algumas dicas “pré-torneio”, que espero que possam ser úteis. Observação: se alguma das três áreas ainda não está 100%, sem desespero. Até o dia do torneio tudo estará pronto. E se não estiver, vai e aproveita da mesma forma! 

A primeira dica é ficar de olho aqui no blog, pois ainda essa semana (spoiler alert!) teremos um post com dicas para apresentação do projeto de pesquisa, preparado com muito carinho pela Marcinha.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa!

1. Avisei minha família? Meus amigos?

Você vai “sumir” pelos próximos dias e seus pais e amigos sabem aonde te encontrar? Se você seguiu direitinho todas as tarefas da FLL e compartilhou essa experiência maravilhosa com os outros, eles não somente vão saber aonde você está como provavelmente estarão lá no torneio torcendo e acompanhando tudo! Convide seus pais, irmãos, colegas e amigos para participar. Quem sabe eles não resolvem começar uma equipe ou tornarem-se voluntários no próximo torneio?

2. Revisão das tarefas e funções!

Essa é uma parte muito importante que exige acompanhamento do técnico da equipe. São tantas coisas para lembrar e para fazer que se não houver uma organização mínima, a chance da equipe chegar no torneio sem computador para programar, sem aquela garra especial desenvolvida para auxiliar nas missões ou sem o pôster que vai ficar no pit é muito grande.

  • Reúnam a equipe e listem tudo que vocês não podem esquecer (desde as coisas mais simples): uniformes, decoração do pit, peças “reserva”, baterias, tapete, alimentação, pôster – seja de Core Values, Projeto de Pesquisa ou Sumário Executivo do Robô, instruções de transporte, telefones/contatos de emergência, computador/notebook, backup da programação, elementos necessários para apresentação do Projeto de Pesquisa, etc.
  • Indiquem uma pessoa responsável para cada tarefa para garantir que nada será esquecido. Por exemplo: eu, Gian, serei o responsável por garantir que o robô da equipe estará (inteiro) no torneio. Fulano será responsável por levar o pôster de Core Values e assim por diante. Dividir tarefas e responsabilidades é essencial.

Parece até meio bobo, né? Mas depois de muitos anos e muitos torneios vocês não acreditariam nas inúmeras vezes que encontramos equipes sem elementos essenciais para sua participação no torneio (robô, programação, projeto de pesquisa, entre outros)!

3. Na véspera do torneio

Agora é hora de cada responsável conferir se tudo está em ordem para o início do torneio no dia seguinte. E se algum problema acontecer, calma. Muita calma. Acontece do robô “escapar” das mãos de alguém e quebrar algumas partes, acontece daquele colega “esbarrar” na maquete que seria apresentada no projeto de pesquisa e danificar alguma parte. Se isso acontecer, lembre-se: os juízes estão no torneio para avaliar a experiência e sua jornada de crescimento através da FLL e não para dar prêmios para o robô mais bonito ou para a maquete mais bonita. Resolva (o que for possível) da melhor maneira possível e aproveite o torneio. É lógico que a equipe sempre deve buscar superar todas as adversidades e quem sabe esse limão não vira uma bela limonada?

4. No dia do torneio

Agora é hora de relaxar e curtir demais. Tudo que podia e devia ser feito, já foi. No entanto, para que sua equipe possa buscar os melhores resultados possíveis, vale a pena atentar para algumas coisas:

  • Permanecer unido é essencial, nas vitórias e nas adversidades;
  • Mantenham atenção no cronograma do torneio;
  • Explorem e conheçam toda área do torneio.
  • Vejam com antecedência os locais onde serão as sessões de avaliação em sala, as mesas para teste e as mesas para os rounds oficiais;
  • Tenha atenção com o tempo necessário de deslocamento entre uma área e outra do torneio;
  • Os anjos são auxiliares do torneio e portanto, a responsabilidade em relação aos compromissos da equipe continua sendo da equipe.
  • Procure chegar com antecedência mínima de 10 minutos para as atividades previstas no cronograma (quando possível);
  • Descanso e alimentação adequada são fundamentais;

Da série “você já sabe mas não custa lembrar”: nem sempre as coisas ocorrem conforme planejamos. Talvez o robô não realize aquela missão que já havia sido treinada por 100 vezes com sucesso. É possível que alguém esqueça parte de sua fala na apresentação do Projeto de Pesquisa, enfim: se algo disso acontecer, mantenha a calma e tenha em mente os valores da FLL. Ao invés de frustrar-se ou procurar culpados por algo que não deu certo, procure aprender e tirar todas as lições dessas adversidades – que acontecem, sim – e mantenha o espírito elevado.

Fonte: www.usfirst.org
Fonte: www.usfirst.org

O torneio é uma celebração de toda jornada que vocês viveram como equipe da FLL. E por incrível que pareça, dois dias passam rápido, MUITO rápido. Por isso, divirta-se muito, divirta-se sempre.

Até a próxima e nos vemos nos torneios! 😀

Robô com frame lateral, usado para auxilar o deslocamento usando a base lateral da mesa.

Utilizando frame para um melhor desempenho

Fala galera, tudo bem?
Andei meio sumido mas de volta estou! 🙂

Esse tempo em que estive ausente foi por motivo de estudo e pesquisa, estive observando vários robôs pessoalmente e via internet e um item que me chamou atenção foi a famosa proteção lateral. Algumas pessoas perguntam o que seria isso? Bom vamos lá! Proteção lateral ou frame como também é conhecido nada mais é que uma espécie de quadro que circunda o nosso robô e o auxilia na proteção e estabilidade sem contar que tem uma função primordial que é  a proteção dos pneus.

Robô com frame lateral, usado para auxilar o deslocamento usando a base lateral da mesa.
Robô com frame lateral, usado para auxilar o deslocamento usando a base lateral da mesa.

Mas por que isso?
Imagine você disparando seu robôs para executar uma determinada tarefa e você utiliza a opção de utilizar a borda lateral da mesa para alinhamento. Se o pneu encostar na lateral você terá atrito e isso atrapalhará todo o seu desempenho. Lembre-se que essa é uma dica, não é obrigatório que vocês utilizem essas estruturas no seu robô. 🙂

Robô sem o uso de frame.
Robô sem o uso de frame.

Vejamos a seguir alguns modelos de frames com apoio de roldanas e rodas  para ajudar o alinhamento e o deslizamento nas paredes.

Alguns modelos de peças que podem ser utilizada no apoio do freme.
Alguns modelos de peças que podem ser utilizada no apoio do freme.

 

Rodas de apoio 11mm D. x 8mm with Center Groove
Rodas 42610 11mm D. x 8mm with Center Groove, usada para apoio.
Polia 4185, sendo usada com apoio.
Polia 4185, sendo usada como apoio.

 

 

 

 

 

 

 

 

Polia grande 3736, usada como apoio.
Polia grande 3736, usada como apoio.
Roda 30115 com raios 2 X 2, usada como apoio.
Roda 30115 com raios 2 X 2, usada como apoio.

 

 

 

 

 

 

 

 

Vale lembrar que não existe um modelo ou tamanho padrão para ser usado, vai depender de sua necessidade de uso.
E só estamos trazendo apenas modelos afinal estamos falando de LEGO então não existe um padrão a ser seguido. Como sempre falo deixem vir a tona seu lado de construtor e façam seus próprios frames.

Bom galera era isso que queria compartilhar com vocês, a temporada já começou e desejo à todas equipes participantes uma boa sorte! Nos veremos em breve nas competições!

Muito obrigado pela companhia de todos vocês. Não sejam limitados em suas criações! Explorem seu lado criador! Ousem em construir a todo tempo possível!

Ah e não esqueçam de nos enviar suas dúvidas e sugestões :)

Grande abraço a todos!
Robot Mak3r Guilherme Constantino.

*As imagens ilustradas são de propriedade do autor.

Tempo_em_Sala

Está chegando o torneio, você já preparou sua Apresentação de Design do Robô?

Fala galera, como andam as coisas? Espero que bem, nesse momento vocês já devem estar se preparando para os Torneios Regionais e a adrenalina deve estar a mil, estou certo?

Muitos de vocês já devem estar ensaiando a apresentação do Projeto de Pesquisa, acertando os últimos detalhes e com certeza seguindo as dicas do meu grande amigo Tchescow, mas quantos de vocês já preparam a apresentação de Design do Robô?

Isso mesmo você não leu errado, estou falando da apresentação de Design do Robô, presente a alguns anos nos torneios internacionais, e que a partir deste ano também encontraremos por aqui.

Vamos lá entender o que é essa apresentação de Design do Robô? 😉

Entendendo o que é a apresentação de Design do Robô

No documento publicado recentemente no Portal da Indústria, vocês foram oficialmente informados que deverão preparar uma apresentação para a avaliação de Design do Robô, denominada Sumário Executivo do Design do Robô (SEDR). Não precisa se preocupar esse tal sumário executivo não é nenhum bicho de sete cabeças, vamos entender melhor o que é isso…

O sumário executivo geralmente é a principal parte de um Planos de Negócios e possui a função de explicar o modelo de negócios básico, fornecer uma explanação dos fundamentos e justificativas gerais para a estratégia que se tem em vista. Engenheiros normalmente utilizam um sumário executivo para descrever brevemente os elementos-chave de um produto ou projeto.

Para nós, na FLL, o Sumário Executivo do Design do Robô tem o objetivo de ajudar os juízes de Design do Robô a aprender de forma rápida e consistente sobre o processo de design utilizado no seu robô, na prática o objetivo do SEDR é dar aos juízes de Design do Robô uma visão geral do seu robô e tudo o que ele pode fazer.

A ideia principal por trás do SEDR é ajudar o seu time a considerar antecipadamente as informações mais importantes a serem compartilhadas com os juízes, do jeito que é hoje (quando não preparamos previamente a apresentação) podemos esquecer de falar algo muito importante por causa do nervosismo da hora (o que é super normal). Pense da seguinte maneira, tudo o que seu time escolher para compartilhar com os juízes permitirá que eles possam avaliar de uma maneira mais eficaz, além de possibilitar comentários que serão mais úteis para vocês melhorarem os robôs para a próxima temporada.

Você e seu time são livres para determinar quanto tempo vocês deverão investir na preparação do SEDR, mas sinceramente na minha opinião vocês não devem e nem precisam demorar mais que algumas horas para desenvolver e praticar o SEDR. Não é a intenção do SEDR ser tão extenso ou demorado como seu Projeto de Pesquisa.

Como fazer meu SEDR?

Não existe qualquer tipo de regra para a elaboração do SEDR, nem é a ideia de formalizar e padronizar algo, lembre-se “Nós nos divertimos” e padronizar demais torna todo o processo chato. Já que não existe um padrão, você e seu time são livres para fazerem o que vocês quiserem, a única informação importante que temos que lembrar é que nessa temporada vocês NÃO serão mais divididos entre programadores e construtores, todos serão avaliados juntos.

Aqui eu coloco algumas opções que vocês dispõem para fazer o SEDR do seu time:

  • Pôster;
  • Apresentação do PowerPoint®;
  • Apresentação oral com o auxílio de fotos;
  • Qualquer coisa que seu time faça e esteja confortáveis.

Apenas para exemplificar a utilização do pôster, dá uma olhada na foto abaixo que mostra um pôster do Sumário Executivo do Design do Robô do time #3455 FOOTHILL LEGO LOVERS, nesse site vocês encontram outros diversos exemplos de pôster de Design do Robô e Core Values.

20111212 041Fonte: Noato Home Design Home Decor Ideas

Você não é obrigado a fornecer uma versão impressa do SEDR para os juízes, portanto, não se preocupe muito em criar um material impresso super detalhado (mas se seu time já preparou esse material super detalhado, não tem problema, por favor não jogue ele fora 😉 ), mas sim em compartilhar com os juízes todo o processo de desenvolvimento do robô do seu time.

Quanto tempo eu tenho para fazer meu SEDR?

Seu time vai apresentar seu SEDR no início da sua sessão de avaliação de Design do Robô. A apresentação inteira, incluindo a demonstração do funcionamento do robô, não deve demorar mais tempo do que 7 (sete) minutos. Após sua apresentação os juízes irão fazer algumas perguntas sobre o robô para que seu time possa responder.

Aqui eu coloco para vocês como vai funcionar a dinâmica na sala de avaliação de Design do Robô, percebam que não é muito tempo, portanto foque nas principais características da construção mecânica e programação do seu robô, bem como na estratégia e inovações do seu time.

Tempo_em_Sala

O que deve conter na meu SEDR?

A estrutura básica do SEDR deve incluir os seguintes elementos:

  1. Dados do Robô;
  2. Detalhes de Projeto;
  3. Demonstração de funcionamento.

Dados do Robô: Quando falamos de dados dos robôs espera-se que você compartilhe com os juízes um pouco sobre o seu robô, como por exemplo, o número e tipo de sensores, sistema de locomoção, número de peças, bem como o número de anexos/garras. Os juízes também gostariam de saber sobre a programação que seu time desenvolveu, o número de programas, a quantidade de memória usada por cada programa e qual programa completou as missões de maneira mais consistente.

Detalhes de Projeto: Nesta área a ideia básica é apresentar todas as particularidades que tornam o seu robô único, apenas para guiar você nos tópicos que podem ser abordados eu coloquei aqui algumas sugestões de coisas a serem discutidas:

  1. Diversão: Descreva a parte mais divertida e interessante do projeto do robô, bem como as partes mais desafiadoras. Se o seu robô tem um nome, quem escolheu o nome e por quê. Se seu time tem uma história divertida sobre seu robô sinta-se livre para compartilhar.
  2. Estratégia: Explique estratégia e raciocínio de seu time para a escolha e realização das missões. Fale um pouco sobre quão bem-sucedido foi o seu robô em completar as missões que você escolheu. Os juízes podem gostar de ouvir sobre a sua missão favorita e por que ela é a sua favorita.
  3. Processo de Design: Descreva como sua equipe projetou seu robô e que processo você usou para fazer melhorias com seu projeto ao longo do tempo. Resumidamente compartilhe como diferentes membros do seu time contribuíram para o projeto e como você incorporou todas as ideias.
  4. Projeto Mecânico: Explique aos juízes estrutura básica do seu robô, como você se certificou que seu robô é durável e como você o tornou fácil para reparar ou adicionar/remover anexos. Explique aos juízes como o robô se move, e quais mecanismos ou garras ele usa para completar as missões.
  5. Programação: Descreva como você programou o seu robô para garantir resultados consistentes. Explique como você organizou e documentou seus programas, bem como, se os seus programas utilizam sensores para saber (e garantir) o posicionamento do robô no tapete.
  6. Inovação: Descreva todas as características de seu projeto do robô que você sente que é especial, diferente ou especialmente inteligente.

Demonstração de Funcionamento: Por fim, mas não menos importante, chegou a hora de demonstrar o funcionamento do seu robô para os juízes realizando a missão ou missões de sua escolha, escolha a missão que você acha mais divertida e/ou desafiadora, recomendo demonstrar apenas uma saída de base, não tente demonstrar uma partida completa, será necessário tempo para que os juízes façam perguntas a seu time.

Bem eu acho que a ideia que eu queria passar para vocês era essa, todo esse processo de avaliação é uma novidade para você e também para os juízes, portanto vamos aprender todos juntos, mas uma vez que dominarmos bem essa nova ferramenta com toda a certeza do mundo evoluiremos bastante com nossos projetos.

Pessoal, até o próximo post, fiquem na paz e que a Força esteja com vocês.

Abraços.

Pesquisa-cientifica-2014-size-598

Meu projeto de pesquisa está pronto? Algumas dicas para ajudar sua equipe a responder essa pergunta.

Olá pessoal! 😀

Esse é o meu primeiro (de muitos!) posts aqui no Aprenda Robótica e espero que seja bastante proveitoso para todos. Será muito bacana dividir com vocês dicas e informações sobre o Projeto de Pesquisa. Agradeço o convite dos organizadores dessa ferramenta fantástica. Ainda, dividir esse tema com a uma pessoa tão capacitada quanto a Marcinha será muito especial! Sintam-se à vontade para comentar dizendo o que acharam. Será um prazer esclarecer também qualquer dúvida que possa surgir.

O tema escolhido para o post de hoje pode parecer um pouco abrangente, mas tenho certeza que fará sentido para muitas equipes. Já estamos em meados de novembro e com a proximidade dos primeiros torneios é hora de parar por um minuto e refletir:

  • O projeto de pesquisa de minha equipe está “pronto” ou praticamente “pronto”?
  • Nós conseguimos atender os três passos do projeto de pesquisa?

Perguntas simples com respostas um pouco mais complexas. Desde cedo nossos professores, técnicos ou mentores nos ensinaram que todos os projetos de pesquisa devem ter início, meio e fim. Talvez vocês estejam acostumados com os termos introdução, desenvolvimento e conclusão. Para o Projeto de Pesquisa da FLL funciona exatamente da mesma forma, todas as etapas devem ser vencidas e o principal: existe um tempo limite para “entrega” deste trabalho.

Mas e agora, como posso saber se minha pesquisa realmente está “pronta” para ser apresentada nos torneios? Para responder a primeira pergunta, vamos utilizar os três passos do Projeto de Pesquisa para que sua equipe possa identificar em que etapa vocês estão e auxiliar na tomada de decisões que possibilitem a entrega de um ótimo trabalho.

1. Nós conseguimos identificar um problema de pesquisa?

Essa é a primeira etapa do processo. É essencial que seu problema de pesquisa, relacionado ao tema da temporada Trash Trek esteja de acordo com as regras oficiais. Você pode consultar os documentos da temporada no site oficial do Torneio de Robótica e lá efetuar o download do Desafio Trash Trek.

Lembre-se, nessa temporada sua equipe irá identificar um problema com a maneira que lidamos com o lixo. Para o Desafio TRASH TREK, lixo é qualquer item que você não vai mais utilizar e quer se desfazer. Ainda, vale lembrar que para o Projeto de Pesquisa TRASH TREK, não são considerados lixo: esgoto (água suja ou excrementos de pessoas ou animais) e gases (escapamento de carro).

Caso sua equipe ainda esteja nesta etapa a dica é: vocês precisam acelerar! Com a orientação dos técnicos e mentores, organizem sessões de brainstorming para discutir ideias, criem mapas conceituais, entre outros. Escolham aquela ferramenta que parecer mais interessante e viável e mãos à obra!

Algumas dicas de temas disponibilizadas no documento oficial da temporada para ajudar:

  • Coleta de lixo
  • Encontrar novos usuários para itens velhos (redirecionar)
  • Resíduos de comida
  • Resíduos de materiais eletrônicos (telefones, computadores, etc)
  • Resíduos perigosos (lixo hospitalar, produtos químicos, etc.)
  • Qual o impacto do lixo em sua comunidade
  • Aterros
  • Fabricação de produtos que não gerem resíduos
  • Processo de reciclagem
  • Classificação do lixo

2. Nós conseguimos encontrar uma solução inovadora para nosso problema?

Uma vez definido qual é o problema que será pesquisado, a equipe deve encontrar uma solução inovadora para ele. Esta solução pode ser uma inovação radical ou incremental. Acredito que vocês já saibam a diferença mas não custa relembrar: enquanto a inovação incremental está relacionada com a evolução nas características de um bem ou serviço já existente a inovação radical é aquela onde um produto ou serviço completamente novo é criado e disponibilizado.

É importante que a solução da equipe contemple três aspectos principais. Que seja fácil de explicar – e consequentemente de ser compreendida por todos. Deve ser inovadora (independente da inovação ser radical ou incremental) e por fim, a implementação e seus fatores devem ser extensivamente analisados.

Como posso saber se conseguimos concluir essa etapa? Minha dica é utilizar algumas perguntas que também estão nos documentos oficiais da temporada. Desculpem por indicar tantas vezes os documentos oficiais, mas isso é extremamente importante e foi ressaltado no último post do Adriano. Os documentos oficiais são o guia, o norte das equipes e devem ser a referência para organização dos trabalhos.

Então, de volta a solução inovadora de sua equipe, questionem:

  • Nós conseguimos reinventar o descarte de lixo para torná-lo mais eficiente ou seguro?
  • Nossa solução já existe ou ela é completamente nova?
  •  Nossa solução poderia evitar que algo virasse lixo como primeira opção?
  •  Por que nossa solução teria sucesso quando outros falharam?
  • Nós precisamos de alguma tecnologia especial para executar nossa solução?
  • Qualquer pessoa pode usar nossa solução, ou apenas algumas pessoas?

Se vocês conseguiram responder todas as perguntas: muito bom! Estão no caminho certo. Se ainda restam dúvidas, procurem respostas para os pontos que ainda não estão bem claros e busquem concluir essa etapa para chegar ao compartilhamento

3. Nós compartilhamos nossa solução antes do torneio com pessoas ou grupos que possam se beneficiar com ela?

É bastante comum que as equipes encontrem um problema bacana de pesquisa (lembram da introdução, ou início de nossa pesquisa)? Que imaginem, criem e desenvolvam uma solução inovadora (nosso desenvolvimento, ou “meio”) e por fim, acabem “esquecendo” de compartilhar essa solução antes do torneio, deixando o projeto de pesquisa sem conclusão, ou fim.

Existem algumas coisas muito importantes que devem ser lembradas no que se refere ao compartilhamento.

  1. Busque compartilhar com grupos ou pessoas que realmente tenham relação com a sua pergunta e com a sua solução. Por exemplo: compartilhar sua solução sobre como evitar que garrafas de vidro viram lixo com um profissional da indústria é bacana, mas será que não seria muito melhor se esse profissional trabalhar em alguma área ou empresa relacionada com vidros efetivamente? Da mesma forma, compartilhar um solução de coleta na sua escola é bacana, sem dúvida, mas será que não seria muito mais proveitoso se vocês puderem compartilhar com outras escolhas? Talvez com toda a cidade? Região? Pensem nisso. A definição de um bom “público” para compartilhamento os levará ao item 2.
  2. Feedback. Essa é uma palavra inglesa que significa mais ou menos o seguinte: uma informação que o emissor obtém da reação do receptor à sua mensagem, e que serve para avaliar os resultados da transmissão. Traduzindo para FLL: compartilhando com as pessoas, grupos e profissionais corretos, vocês poderão obter respostas verdadeiras e efetivas para descobrir se a sua solução realmente funciona, se ela é implementáveis e principalmente: como ela pode ser aprimorada. Isso nos leva ao último item.Feeback
  3. Nenhuma solução começa já pronta e na sua forma ideal. Por vezes, ela pode nem funcionar. Se isso acontecer já perto do torneio, não se desesperem. Procurem aprender como sua solução pode ser alterada ou aprimorada para que funcione da melhor forma possível. Lembrem-se que o aprendizado é o elemento essencial da jornada e que os projetos podem (e devem!) ser evoluídos inclusive após o torneio.

Caso sua equipe esteja nessa etapa, vocês já estão quase lá. Preparem sua apresentação, organizem as informações e preparem-se para curtir o torneio. Para finalizar esse longo post (obrigado pela paciência até aqui) mas que é muito importante nesse momento da temporada vou deixar duas últimas dicas!

Utilizem a rubrica da pesquisa – ficha pela qual a pesquisa será avaliada no dia do torneio e analisem se a equipe conseguiu atender a todas as etapas. Dediquem atenção aos pontos mais fracos. Importante: lembrem-se SEMPRE dos valores da FLL. O aprendizado é nosso verdadeiro prêmio.

E por fim, a última dica: antes, durante e depois: D I V I R T A M – S E. Sempre!

Um grande abraço e até a próxima!

fll2015trashtrek-mat-elements-8in-v02

Temporada Trash Trek℠: Atenção as Regras e Updates!

Olá pessoal!

Após um certo tempo, volto a escrever aqui no Aprenda Robótica para vocês!

Mas hoje, ao invés de continuar a série de posts sobre a Temporada Trash Trek℠. Mas aqui não vou tratar de dicas sobre estratégias, ou técnicas mirabolantes, ou mesmo sobre algo revolucionário, porém, algo tão importante quanto.

Desde o lançamento da temporada no final de agosto, todos tiveram acesso as regras do Desafio do Robô, e esse ano as mudanças foram notáveis. E alguns times vem comentar conosco sobre as missões, e como irão faze-las, e o uso de ferramentas de engenharia cada vez mais sofisticadas. Mas o princípio básico para a resolução das missões, continua sendo deixado de lado. Muitas equipes NÃO ESTÃO LENDO AS REGRAS!

Cuidado Regras

E na prática, isso pode ter consequências negativas na criação de estratégias e na resolução das missões da mesa!

MUDANÇAS NAS REGRAS

Bom, como podemos ver no vídeo oficial da FIRST (Disponível com legendas, no canal oficial do Operador Nacional), o próprio Scott Evans (Game Design e criador do Desafio do Robô), pede para que os times leiam atentamente as regras e não se baseiem no que sabem dos anos anteriores. A redução no número de regras e palavras, além de simplificar, tem por objetivo, que todas as equipes LEIAM o material.

Bom, uma das grandes mudanças é a separação das regras por 4 grandes sessões:

1 – Guia de Princípios;

2 – Definições;

3 – Equipamento, Software e Pessoas;

4 – Missões;

É a Guia de Princípios, que diz quais são as bases do torneio, e como as equipes devem organizar fundamentar o seu trabalho. Como em todo o Torneio, todo o trabalho gira em torno do Gracious Professionalism. Isso inclui a relação entre os membros da equipe, com as outras equipes, com os juízes e voluntários do evento.

A questão da variabilidade também é algo que deve ser considerado. As equipes devem projetar seus robôs e planejar suas estratégias prevendo essas variações.

Mas o que ensejou esse post hoje, foi especialmente a GP05 – PRIORIDADE DE INFORMAÇÃO:

GP5 – PRIORIDADE DE INFORMAÇÃO

  • No caso de conflito entre fontes de informação do jogo, a prioridade/autoridade em ordem decrescente é…
  • #1 = Texto de Updates do Desafio do Robô atual
  • #2 = Texto de Missões e Configuração da Arena
  • #3 = Texto de Regras
  • #4 = Decisão do Juiz Chefe de Arena local
  • Fotos e vídeos não têm validade, exceto quando referidos nos textos em #1, #2 ou #3.
  • E-mails e comentários de fórum não têm validade, mesmo de fontes oficiais. Considere como uma opinião.

Fora as quatro fontes elencadas, NENHUMA OUTRA FONTE DE INFORMAÇÃO tem validade para a avaliação do Desafio do Robô. Algumas equipes estão utilizando como referencia diversos vídeos que outras equipes disponibilizam na internet. Tenha cuidado, pois alguns podem induzir a erro. Antes de adotar uma estratégia, analise se ela é válida.

Os updates são muitas vezes deixados de lado pelos times, e no dia da etapa na qual irão participar, pequenas mudanças que não foram consideradas, podem invalidar toda a estratégia! Fique atento ao site do Operador, e tenha sempre à mão e revise suas estratégias a cada update! O link para baixar o mais recente é: Torneio de Robótica FLL> “Documentos da Temporada”. Nesse link estão disponíveis também TODOS OS DOCUMENTOS RELATIVOS A TEMPORADA 2015 – 2016 Trash Trek℠.

O texto de Missões e Configuração da Mesa, precisa ser lido atentamente. Isso, por que na ânsia de começar a treinar a parte do Desafio do Robô, construindo e programando, esquecemos de alguns detalhes de suma importância. Chamo a tenção para ler a parte de configuração da mesa, pois temos percebido, através de vídeos e fotos que as equipes estão postando, que muitos estão treinando com a MESA CONFIGURADA INCORRETAMENTE!

Para evitar isso, considere reler as Regras atentamente. Leia, prestando atenção nos seguintes detalhes:

               – Posição dos “Laços”, que estão presentes nos Modelos de Missão: Metano, Sacola Plástica, Itens de Valor. Verifique que eles estejam na posição correta, e lembre que existem marcações no tapete indicando a posição dos mesmos.

               – Posição dos Modelos de Missão na Mesa. Alguns modelos estão sendo posicionados sem respeitar a marcação limite no tapete. Preste atenção em especial no modelo Triagem, Transferências Leste e Oeste.

FLL2015TrashTrek-Mat-Elements-8in-v02

Caso seu time tenha alguma dúvida sobre as regras das Missões, sobre a pesquisa, ou qualquer outro aspecto do Torneio, por favor, mande-a para o e-mail oficial: torneiofll@sesi.org.br .

Considere esse post, quando for testar suas estratégias na mesa na próxima vez, como uma referência para rever seus modelos de missão, bem como as suas posições no tapete.

Desejamos que sua equipe se diverta muito nas etapas Regionais que estão para começar!!!  #GoFLL !

img_7142

Poster de Core Values

Bom dia leitores do Aprenda Robótica. 🙂

Cada pessoa aprende de um jeito diferente, e, pensando neste conceito decidi elaborar um post um pouco diferente: através de um bate-papo em vídeo, nos próximos 20 minutos, explicarei como elaborar um Poster de Core Values que seja exatamente o que os juízes querem ver nos torneios de Robótica da FIRST LEGO League.

Preparados? Então vamos lá.

Criar o Poster pode ser uma tarefa bastante prazerosa, portanto, aproveitem este momento com sua equipe e divirtam-se! IMG_7142Espero que gostem e comentem sobre o que descobriram com este post, bem como ao confeccionar o Poster de Core Values.

DSCN5502

Fiquem com meu carinho e até a próxima!

Beijos,

Paulinha <3

movimento

Como definir as missões que farei e a ordem delas? – Parte 3

Olá pessoal, tudo bem? Hoje vou retomar a discussão sobre estratégia de missões, dicas de como melhorar o seu tempo e formas de fazer um movimento mais preciso utilizando alguns recursos pouco utilizados. Como todos sabemos a inovação é sempre algo que é necessário no nosso meio, para isso, algumas estratégias simples podem ser adotadas para lhes ajudarem durante os desafios de mesa e na demonstração para os juízes de design.

Ganhando tempo

Sabe quando você está na mesa de desafios, holofotes em cima, todo mundo pronto, e você tem que ficar escolhendo entre as saídas 1, 2, 3 ou 42 no EV3 ou NXT até encontrar a correta e lançar o robô? Isso é muito estressante e pode gerar atrasos né? E se tivéssemos uma forma de iniciar o robô apenas selecionando um botão? Vamos ver?

EV3 X NXT.fw

Primeiramente considere que temos 5 botões no EV3 (em verde) e 3 no NXT (em verde) que podem ser acionados sempre que o robô voltar para a base. Dessa forma, sempre que o nosso robô estiver de volta à base, precisaremos apenas selecionar o próximo botão que será utilizado para a saída programada e vocês poderão ganhar tempo nessa troca, não é bacana? Com isso, é só decorar quais as saídas estão associadas para cada anexo do seu robô e pronto!

Abaixo uma demonstração de como isso pode ser programado. Logo abaixo é possível identificar que coloquei um Wait e que estou aguardando alguns botões para serem pressionados. No Switch, existem 5 ações, uma para cada programação que será adicionada na saída do meu robô.

Atenção: essa é uma programação de exemplo, você deve avaliar com o seu time se isso é necessário e se pode ajudar na sua estratégia ok?

ProgamacaoBotao
Para cada botão pressionado uma ação será realizada

Ganhando tempo 2

Quando vocês estão do lado da mesa de desafios e precisam trocar todas as garras do seu robô entre uma missão e outra não se esqueçam de organizar os objetos na ordem que irão utilizá-los. Por exemplo, se tenho 4 saídas para fazer todas as missões que estou preparado, devo deixar as garras preparadas para a saída do robô, e na mesa (suporte, balcão, caixa) ao lado da mesa de desafios todas as estruturas para a missão número 2, missão número três e quatro consecutivamente. Outro boa alternativa é lembrar que apenas dois representantes da equipe podem ficar na mesa, portanto, enquanto um está trocando a estrutura no robô o outro deve ir organizando as próximas estruturas, diminuindo assim o tempo de “troca”.

Melhorando a movimentação

Dois pontos muito importantes que devemos fazer em cima de uma mesa de desafios são a reta e a curva. Simples não é mesmo? Durante vários testes que acompanho vejo que as equipes tem dificuldades para saber se devem usar rotações ou graus para fazer uma movimentação. Vejo ainda maior dificuldade quando o robô está próximo de chegar ao seu objetivo mas ficamos tentando saber se devemos adicionar ou diminuir X graus, ou ainda 0.52 rotações pra garantir o sucesso. Confuso isso não é mesmo?

Uma forma de fazer com que a reta seja perfeita é saber primeiramente qual o diâmetro da sua roda. Pra saber isso é fácil, a grande maioria das rodas da LEGO possuem em sua lateral uma definição dizendo qual o seu diâmetro. Uma vez que você souber o tamanho da roda, precisamos descobrir a distância que você precisará percorrer, Para isso, peça para mãe, para tia ou para vovó aquela fita métrica de tecido e marque à partir do centro da roda do seu robô até a distância que ele deve alcançar. No meu exemplo estou usando da base até o desafio que quero executar, sendo assim, minha marcação terá início e fim nas duas linhas vermelhas no tapete abaixo.

 Movimento

Agora que sabemos o trajeto que será realizado, precisamos fazer um simples cálculo. Nós já temos o tamanho da roda que usaremos e a distância que será percorrida, então falta fazer o seguinte:

Diametro

Calma que eu vou explicar, é muito simples. A fórmula acima está explicando que para cada volta completa da roda que escolhi ela percorrerá 29,51cm. Logicamente, para cada roda utilizada há um diâmetro diferente e ele terá uma movimentação que pode ser maior ou menor à que apresentei agora. Para calcular a distância que a roda que você está utilizando vai percorrer em uma linha reta é só colocar o valor do diâmetro, multiplicar por 3,14 e pronto!

Agora que sei a distância que vou percorrer e a circunferência da minha roda, preciso saber quantos graus ou voltas preciso colocar no meu robô. Nesse caso vamos dividir a distância a ser percorrida pela circunferência e logo após faremos o cálculo de graus e voltas. Sendo assim:

Diametro2

Ou seja, para esse percurso colocarei que preciso de 2,77 rotações ou 997,5 graus. FÁCIL NÉ? Bem se pra você está complicado demais e fazer todos esses cálculos podem vir a lhe tomar muito tempo, eu tenho a solução! O pessoal do EV3lessons fez uma calculadora automática para você. Na aplicação deles é possível escolher as rodas mais comuns, inserir os dados da distância e ele faz todo o restante pra gente. BEM MAIS FÁCIL NÉ GUI! 😛 Ah, e não posso deixar de dizer que a tradução já existe e que ficou bem bacana também. 🙂 Vamos conhecer?

Para fazer download da ferramenta gratuita é só clicar nos links a seguir:

googleappstore

Como esse post está ficando muito longo, aguardem, em breve colocarei mais algumas dicas que poderão lhes ajudar na movimentação, construção, troca e muito mais!

Enjoy! :p

Entrevista – Yoshihito Isogawa

516lramzC8L._UX250_

Olá pessoal tudo bem? Quase um mês após receber as perguntas de vocês, traduzir para o inglês, traduzir para japonês, responder de japonês para inglês e finalmente traduzir para a nossa língua pátria, eis que trazemos aqui as suas respostas. Antes de tudo gostaríamos de agradecer ao Yoshihito novamente pelo carinho em responder todas as questões e se você ainda não o conhece, leia aqui sobre ele! Não se esqueçam que ele já tem vários livros produzidos e um deles é gratuito (link) e pode ajudar muito nas construções.

Para ajudar e aumentar o suporte às dúvidas, colocamos também alguns links das reportagens que já criamos por aqui. Boa sorte com suas construções pessoal!

Nome: Antonio Gabriel
Equipe: SESI Thunderbóticos
Cidade: Rio Claro – SP
Mídia Social: Site

Olá Yoshihito Isowaga, tenho a pergunta que não quer calar em muitos times iniciantes de FLL: quais as técnicas/métodos para fazer um robô andar em linha reta?
Obrigado!!

YI: É realmente uma boa pergunta. É muito difícil para mim também fazer o robô andar em linha reta. Primeiramente, é importante balancear a esquerda e a direita do robô. Qualquer alteração no peso mudará sutilmente no movimento, até mesmo as ligações dos cabos e as portas utilizadas podem ajudar ou atrapalhar. Outro fator que pode interferir no movimento do seu robô é devido ao movimento de andar ou parar bruscamente. Essa alteração no movimento pode ser identificada devido a ação inerte dos pneus. Por favor, tente ajustar seus programas para iniciar e parar seu robô lentamente.
As diferenças individuais de cada motor podem influenciar os movimentos também. Eu recomendo que você verifique as características de todos os motores que você tem e escolha os dois motores que possuem as características mais semelhantes.

Dicas:
Estabilidade | Rodas | Motores

Nome: Isadora do Carmo Santos
Equipe: #TeamBIOTECH
Cidade: Não informada
Mídia Social: Site

Qual o segredo para se ter um robô bem estruturado?
Como realizar uma programação com qualidade e perfeição?

YI: Logo após vocês definirem qual será o formato do seu robô e construí-lo será o melhor momento para começar as melhorias intensivas. Primeiramente considere se há coisas inúteis em seu robô, ou não. E então remova todas as partes desnecessárias assim como o desperdício de espaço.
Em seguida, realize muitos testes em variadas situações e modifique seu robô baseado nos resultados obtidos nos testes.
Por exemplo:
– Seu robô opera corretamente em um campo inclinado?
– Seu robô opera corretamente em um campo empoeirado?
– Seu robô opera corretamente em situações em que a luz venha pelo lado do campo?
É importante que você simule as mais pessimistas situações possíveis.
Eu tenho certeza de que seu robô estará pronto para os desafios se passar por por estas provas.

Dicas:
Estabilidade | Rodas | Design

Nome: Rafaela Vilaqua
Equipe: LEGO of Legends
Cidade: Pelotas
Mídia Social: Instagram

Gostaria de saber se para o senhor é melhor construir um robô pequeno ou um grande para a melhor realização das missões? Você tem uma dica para nos deixar?

YI: Este é o tema que você deve pensar bem. Por favor, considere o tamanho de seu robô que se adapta às suas estratégias através da tentativa e erro. De qualquer forma, é sempre mais difícil controlar robôs grandes. Em meu caso, eu faria robôs mais leves reduzindo as partes desnecessárias, tanto quanto fosse possível.

Dicas:
Design| Rodas

Nome: Victor Quintanilha, 16
Equipe: Gametech Canaan
Cidade: Goiânia GO
Mídia Social: Facebook

Olá, meu nome é João Victor Quintanilha, tenho 16 anos e sou de Goiânia – GO. Sou membro da equipe GameTech Canaan. Eu tenho uma questão a respeito da montagem: Quando nós encaixamos a engrenagem da garra no motor pode acontecer dos dentes das duas engrenagens escaparem. Durante nossas experiências construindo garras, o posicionamento das engrenagens foi nosso maior desafio. Como podemos evitar que isso aconteça durante nossas montagens?

YI: Se o problema que você está dizendo são as folgas entre as engrenagens, você não tem como se livrar deste movimento perdido. Essa mínima diferença entre os dentes das engrenagens não tem como serem recuperados, porém, se o seu problema está entre duas engrenagens que não podem ficar muito próximas, tente utilizar engrenagens perpendiculares. Eu recomendo que você utilize estas engrenagens, especialmente quando você deseja inverter a direção do eixo para um ângulo correto,

Dicas:
Livro TORANOMAKI

Nome: Victoria Faria, 14
Equipe: Legião Robótica
Cidade: Batatais, SP
Mídia Social: Facebook

Oi, sou a Victoria Faria, da equipe Legião robótica de Batatais-SP. Gostaria de saber que lógica/conceito você segue para criar coisas novas?
Obrigada

YI: O processo que eu utilizei para construir meus robôs é assim:
Primeiro de tudo, eu imagino o que eu queoro construir em minha cabeça. Minhas ideias geralmente vêm de situações como estas:
– Quando eu vejo algo enquanto estou caminhando
– Quando eu olho alguma coisa em livros e revistas
– Quando eu vejo fotos na internet
– Algumas vezes tenho ideias vindas de um sonho 
Logo após, eu começo a construir o modelo. Se eu tenho alguma nova ideia enquanto estou construindo, eu mudo a primeira ideia sem hesitar. Isto significa que eu não me importo de seguir em uma direção diferente daquela primeira imagem que eu tinha visualizado. Com o modelo inicial pronto eu começo um melhoramento intensivo dele. Eu removo as partes desnecessárias e os espaços em vão do robô, e adiciono as decorações necessárias para que ele fique mais bonito. Recomendo que você observe firmemente todos os robôs e as máquinas que encontrar em sua vida cotidiana.

Dicas:
LIVRO TORANOMAKI

Nome: Wigne Júnior, 15
Equipe: Gametech Canaan
Cidade: Goiânia, GO
Mídia Social: Facebook

Em nossos robôs para o torneio FLL, usamos os motores para o movimento do robô e do movimento das garras. O motor padrão servirá para gerar os movimentos durante as realizações das missões da mesa. Qual a melhor forma de garantir uma boa garra no robô?

YI: O melhor método será quando vocês definirem os métodos apropriados para cada ação, variando de acordo com a forma, tamanho e direção de suas garras e outros acessórios do robô. Tente imaginar quais seriam as melhores maneiras para adequar as estruturas ao seu robô através de tentativas e erros. Não se esqueça de considerar sempre o equilíbrio entre a direita e esquerda / frente e traseira de todo o seu robô.

Dicas:
Estratégias | Estratégias 2

Nome: Marcos Buzolo Câmara, 16
Equipe: Gametech Canaã
Cidade: Goiânia, GO
Mídia Social: Facebook

Em relação ao posicionamento do brick, sabendo que ele precisa ser de fácil acesso, para trocar a bateria e até escolher a programação. Na hora da montagem ele também ocupa muito espaço, que poderia servir para alocar anexos, garras, etc. Qual a melhor forma de instalá-lo – na vertical ou horizontal, centralizado ou alinhado as laterais, na posição superior ou inferior do robô?

YI: É realmente difícil decidir onde colocar o bloco do EV3. Ele é grande e pesado. Por favor, determine sua posição após pensar em duas coisas. Primeiro, verifique o equilíbrio entre a esquerda e a direita de seu robô. Por exemplo, se um objeto pesado, como um braço de uma garra é conectado do lado direito de seu robô, você deve colocar o bloco do EV3 um pouco para a esquerda.
Segundo, pense sobre o efeito do peso sobre as rodas motoras. O comportamento do robô varia dependendo de onde o bloco EV3 é conectado – perto das rodas motoras ou longe delas. Em qualquer caso, é importante que você decida onde colocá-lo durante a realização de vários testes.

Dicas:
Estabilidade | Estabilidade 2

Nome: Victor Morais, 17
Equipe: Gametech Canaan
Cidade: Goiânia, GO
Mídia Social: Site

Olá amigo. Tivemos algumas dúvidas com relação à montagem do robô para a FLL Trash Trek. Durante os treinos, percebemos que precisaríamos de rapidez e precisão em um mesmo robô. Gostaríamos de saber qual o melhor tipo de roda e pneu que permite uma boa aderência e velocidade do robô evitando a variação durante o percurso?

YI: É um bom ponto de vista.
Há muitos tipos de rodas e pneus, por isso é difícil decidir qual é o melhor. No entanto, eu acho que você deve escolher os pneus que não amassam, tanto quanto possível. Quando os pneus se amassam, o raio do pneu é diminuído. Como resultado, a distância que ele percorre é mais curta.

Pode ser possível fazer com que os pneus quase não sejam amassados, colocando outras partes, como tubos (peça macarrão) dentro dos pneus. A precisão do movimento também será maior quando os eixos das rodas são apoiados em ambos os lados. Esta é a mesma forma que os eixos de bicicletas são apoiados, suportados, e é melhor do que a forma com que os carros apoiam-nos em apenas um lado.
Para acrescentar, o comportamento dos pneus é prejudicado quando é movimentado de repente. Por favor, tente ajustar seus programas para iniciar e parar o robô lentamente, a fim de evitar desvios.

Dicas:
Estabilidade | Estabilidade 2

Bem pessoal, esperamos que tenham gostado do resultado das respostas e esperamos que as entrevistas possam continuar durante os próximos meses com os maiores e melhores construtores que conhecemos. Deixamos aqui novamente o nosso “muito obrigado” e um desejo de sucesso à todos vocês!

Enjoy!

Inovar é preciso!

PROJETO_DE_PESQUISA

Olá, pessoal! Vocês devem estar empenhados nos preparativos e treinos, já que estamos na reta final, há menos de um mês do início das regionais. A expectativa é grande em conhecer os projetos de pesquisa das equipes e principalmente as soluções inovadoras.

O que é inovar? É introduzir novidade em, fazer algo como não era feito antes. Gerar ideias inovadoras não é fácil, não nascem prontas, precisam ser refinadas, revisadas, melhoradas e a chance de inovação aumenta quando são bem pensadas, repensadas, discutidas, desenvolvidas e colocadas em prática. E para ser um inovador não existem regras, guias ou segredos, apenas valores como perseverança, paixão pelo que faz e coragem.

m 02

Para o projeto de pesquisa, o primeiro passo é coletar todas as informações necessárias referentes ao problema. Com as informações em mãos, faça uma revisão e escolha uma solução que atenda as necessidades daquela determinada situação. Não se esqueça de pensar e considerar as possibilidades de implementação e como essa solução vai ser compartilhada. É importante lembrar que a solução precisa agregar valor para a sociedade, melhorando algo que já existe de maneira inovadora, ou criando algo totalmente novo.

img_letras_brancas

Façam perguntas para vocês mesmos: a solução é viável? Estamos empolgados com a solução que definimos?  Podemos melhorar a solução de alguma maneira? É segura e eficiente? Como faremos a implementação? Que materiais, processos de fabricação, tecnologia, custos são necessários para tornar a ideia em realidade? Podemos fazer de maneira mais fácil e barata? É efetiva para as pessoas que se beneficiarão? Como podemos falar da solução com cinco palavras? Como e com quem iremos compartilhar nosso projeto?

Em um dos regionais do ano passado, perguntei sobre os custos para implementar a solução de uma equipe que não tinha feito um levantamento adequado. No outro dia, chego à sala e lá estavam dois membros da equipe me esperando. Eles entregaram uma tabela bem detalhada e disseram: “sei que não podem considerar”, mas nos esforçamos para responder sua dúvida. Achei isto o máximo, o envolvimento e empenho da equipe com o projeto.

E já estão se preparando para a apresentação?

Bom trabalho a todos! E reforço o item 4 da imagem.

Abraços,

Márcia Chinem

$_57

Kit pneumático

Fala galera!
Estamos aqui para trazer um tema muito interessante. Vamos falar sobre pneumática. Uma palavra não muito conhecida na área LEGO mas que pode ser muito importante e de grande ajuda para criação dos robôs.

Pneumática é a disciplina que descreve fluxos de gases e como utilizar suas propriedades para transmitir energia ou convertê-las em força e movimento. A maioria das aplicações que se valem de recursos pneumáticos usam o gás em maior disponibilidade, o ar atmosférico. Assim sendo, o mundo LEGO não é diferente. Pneumática é uma grande ferramenta para a robótica, especialmente nos casos em que os mecanismos precisam de movimento linear ou comportamentos elásticos. A LEGO disponibiliza esses itens em alguns conjuntos educacionais e sets comerciais. O kit é composto por cilindros, bombas, reservatórios de ar, manômetros, mangueiras e conectores.

O modo mais fácil para identificar a diferença entre o set comercial e set educacional é o modelo das cores,  ou seja, as cores azuis são dos sets educacionais enquanto os amarelos são dos set comerciais. A primeira geração de LEGO Pneumática decorreu de 1984 a 1988. Em 1989, a linha pneumática LEGO foi renovada, e um novo cilindro e peças da bomba foram introduzidas. E em Setembro desse ano a LEGO lançou novos modelos de pistões pneumáticos.

Podemos usar esses cilindros para criar garras, proteção, abertura e fechamento de portas, dentre outras necessidades ( claro isso vai depender de sua ousadia na hora da construção 😉 )

Para conduzir o fluxo de ar utilizamos tubos flexíveis ou rígidos, dependendo da necessidade e da conveniência. Os tubos flexíves tem 3 cores básicas além do transparente (são os que eu conheço): azul, cinza claro e cinza escuro.

Tubos flexivies.
Tubos flexívies.

Para controlar o fluxo de ar, são utilizadas pequenas válvulas mecânicas. Dessa forma é possível escolher a direção do fluxo ou mesmo interrompê-lo. Note nas imagens abaixo que há 3 orifícios pelos quais o ar passa. Em 2003 a LEGO lançou um novo modelo sem base de fixação facilitando ainda mais a criação de novos projetos.

válvulas mecânicas
válvulas mecânicas

As conexões “T” são muito úteis. Nos ajudam a otimizar o sistema economizando alguns cilindros e válvulas. Sua utilização é muito simples ele atua como uma espécie de distribuidor do ar, fazendo que o mesmo chegue até os cilindros conectados. Também existe uma bucha “T” que sua função é auxiliar no ajuste das mangueiras para que possam ficar presas de uma forma mais organizada sem obstruir a passagem do ar.

Conexões "T"
Conexões “T”
Bucha "T"
Bucha “T”

 

 

 

 

 

 

 

Um peça importante e que não pode ser dispensada é o Tanque de ar que foi introduzida em 1997. Sem ele, seria necessário manter o bombeamento constante de forma a proporcionar a pressão necessária para a execução das tarefas definidas. Existem dois modelos de tanque de ar  LEGO da cor azul e cor branca. Lembre-se que quanto maior o volume, maior quantidade de ar poderá ser armazenado.

Tanque de Ar
Tanque de Ar

 

Outro item importante é o Manômetro. Ele é um instrumento utilizado para medir e indicar a intensidade de pressão do ar comprimido, óleo, água, vapor e fluídos em geral. Muito utilizados nos circuitos pneumáticos e hidráulicos os manômetros tem a função de indicar o ajuste de pressão em um sistema, circuito ou maquinário.
Existem dois tipos principais de manômetros:
– Manômetros Capsulares (normalmente para medições de 0 – 1000 mBar)
– Manômetros  Tipo de Bourdon

Manômetro.
Manômetro.

Uma pequena peça atua como uma bomba ou “pumper”. Montada num conjunto como o da foto abaixo, ao ser pressionada, é gerado um fluxo de ar para o interior do tanque. Dessa forma, após alguns segundos de funcionamento, já há pressão suficiente para o acionamento dos cilindros. Também podemos fazer esse trabalho utilizando motores.

Pumper
Pumper

 

O cilindro possui duas entradas de ar. Dessa forma é possível, conforme o controle da válvula, orientar o fluxo de ar para retrair ou expor o pistão e assim gerar o movimento esperado. A seguir uma tabela com especificações técnicas dos modelos existentes.

Cilindros
Cilindros

 

 tabela de informações.
Tabela de informações.

 

Existe uma peça que funciona como uma espécie de alongador do pistão. Isso possibilita praticamente duplicar o tamanho do alcance em relação a utilização de apenas um pistão. (Dependendo da sua utilização pode nascer uma inovação só depende da sua ousadia na criação 😉 )

Alongador pneumático com os pistões.
Alongador pneumático
20150908_192628
Alongador pneumático.

 

 

 

 

 

 

 

Trouxe para vocês uma pequena amostra da parte de baixo de um dos robôs criado por mim. Utilizei dois tanques de ar colocados na lateral (tanque de ar branco) e o acionamento do Pumper foi motorizado. Detalhe devido ao espaço ser pequeno preferi usar dois pumpers pequenos ao invés de um grande.

20150908_191856

E aí, gostaram? Muito obrigado pela companhia de todos vocês.
Não sejam limitados em suas criações! Explorem seu lado criador!
Ousem em construir a todo tempo possível!

Ah e não esqueçam de nos enviar suas dúvidas
e sugestões 🙂

Grande abraço a todos!
Ousem ao construir!
Gui Constantino

*As imagens ilustradas são de propriedade do autor.

Core Values

Olá, este post é para aqueles que, assim como eu, são apaixonados pela FIRST LEGO League.
É um deles? Então vem comigo. =)

Qual é a importância dos Core Values pra sua vida pessoal?
Como juíza fiz inúmeras vezes esta pergunta, ou perguntas semelhantes, aos competidores da FLL durante as temporadas. E hoje decidi respondê-la por mim mesma, Paulinha. Qual a importância que os Core Values tem pra minha vida? Escrevendo isso meus olhos já se encheram de lágrimas (bocó master). Mas é verdade, a importância é tanta que só de pensar minha garganta travou. E por quê? Vou tentar explicar…

Quando o modelo de ensino com os materiais da LEGO foi concebido no Brasil, sua principal função era despertar nos alunos a capacidade de trabalhar em equipe, desempenhando diferentes funções e desenvolvendo múltiplas habilidades e competências essenciais para a vida no mercado de trabalho. Desde sempre a principal fonte de problema dos trabalhadores não é a parte técnica do trabalho e sim a parte do relacionamento entre pessoas. E os Core Values são exatamente isso – a valorização do trabalho em equipe. Se nossos governantes hoje tivessem os Valores internalizados em si, talvez não estivéssemos passando por uma crise financeira e econômica tão grande. O próprio Woodie Flowers tem uma opinião a esse respeito, vamos conferir? (PS. Este vídeo eu filmei com minha câmera pessoal no World Festival de 2014, como podem ver, eu estava tremendo um pouco ao filmar o mestre, perdoem-me a baixa qualidade do vídeo).

Assim como o Dr. Woodie Flowers disse, praticar o Gracious Professionalism vai além da FLL, é algo para nossas vidas inteiras. Não se lembra muito bem sobre o que é o Gracious? Aqui está uma fonte de informação que pode lhe refrescar a memória.

http://aprendarobotica.com.br/2015/07/10/o-que-e-o-gracious-professionalism/?preview_id=271


Em nossa vida precisamos aprender a lidar com outras pessoas desde que nascemos. Crescemos em uma família, muitas vezes constituída por várias pessoas, irmãos, primos, tios, avós, outras vezes constituída apenas por uma mãe ou um pai, mas cada um de nós teve que aprender a lidar desde pequenos com as outras pessoas que nos cercam. Na escola somos obrigados a conviver diariamente numa distância muito curta com centenas de outras pessoas que, como nós, estão em desenvolvimento. E a cada dia nos deparamos com centenas de pessoas nas ruas, lojas, trabalho, trânsito, etc. Vivemos em comunidade e o próprio símbolo do Core Values representa isso.

FLL Red Core Values triangle piece logoEntão, pensando na quantidade e qualidade das relações que tenho com as outras pessoas, posso dizer que os Core Values representam para mim a razão de viver. Minha vida inteira se resume em tentar ajudar o próximo, desde pequena minha mãe dizia que eu era muito solícita, que muitas vezes nem precisava me pedir e eu já estava pronta para ajudar. Formei-me em Letras e, antes mesmo de me tornar professora, já era instrutora de informática. Ensinar e poder ajudar os outros foi algo que sempre me motivou. Hoje, ensinar o que aprendi com a FLL é o que me move a escrever para vocês, com o único intuito de contribuir para a melhoria dos times. E isso é o Core Values. É você entender que tudo o que você sabe só foi possível saber graças às outras pessoas que, desde quando éramos muito pequenos, estavam ao nosso lado – “Nós praticamos o Gracious Professionalism em tudo o que fazemos”. E vai além, os Valores nos mostram que não somente devemos ser gratos pelos conhecimentos adquiridos, mas devemos passá-los adiante, numa tentativa de fazer a roda do saber girar com mais força e permitir que ela cresça cada dia mais – podendo ser traduzido no valor “Nós dividimos experiências com os outros”.

DSCN2638

Agora pare e pense: em quantas coisas você é bom? Em quantas pequenas coisas você consegue sempre se superar e agir de uma maneira fantástica? Muitas vezes as pessoas não fazem a mínima ideia do que somos capazes. E não respeitam nossas diferenças. Mas, na FLL, o respeito pelas diferenças é necessário e é o centro de todas as relações entre as pessoas. Já vi inúmeras vezes grupos de pessoas que destratam aqueles que não têm os mesmos conhecimentos ou habilidades que eles, por exemplo, aquelas que jogam em times profissionais, ou aquelas que trabalham em uma empresa mundialmente reconhecida. Há diferentes tipos de saberes e precisamos aprender a valorizar todos os seres. Você não sabe se aquele garçom é um fabuloso violinista que não consegue ganhar dinheiro só com a música, você não sabe se aquele motorista do ônibus é um cozinheiro fantástico que apenas gosta de dirigir. A verdade é que devemos valorizar todos igualmente, pois somos todos inteligentes e especiais de alguma maneira. Afinal, “Nós somos um time” – o time dos seres humanos.

Há muitas formas de vivenciar os valores da FLL todos os dias. Tente mostrar aos juízes histórias individuais que representem o “como” vocês vivenciaram. E, além disso, tentem utilizar os Core Values como uma ponte para nossa evolução pessoal, como competidores, técnicos, juízes, pessoas. Assim como o mestre Dr. Woodie falou, podemos fazer a diferença uma vez que nos tornarmos pessoas melhores. Eu acredito em vocês, em nós. É por isso que me emociono tanto ao falar, pois realmente sei que podemos ser trabalhadores melhores, filhos melhores, pais melhores, mulheres/homens melhores apenas praticando o Gracious Professionalism em nossas vidas diárias. <3

Que a força esteja com vocês, sempre.
Beijo grande, fiquem com meu carinho e até a próxima.

Qual é minha pergunta de pesquisa?

Onde tudo começa – Processo de Pesquisa

Olá, galera! Estou feliz em poder compartilhar minhas experiências sobre o torneio com vocês e ajudar com dicas sobre o Projeto de Pesquisa.

A FLL escolhe assuntos inspirados em situações ou problemas atuais que nos fazem refletir sobre nossas atitudes e hábitos. Trask Trek, a maneira que lidamos com o lixo, me fez mudar ações em casa e na empresa que trabalho. O img1lixo é um tema sério e urgente, pois quanto mais produzirmos, mais problemas enfrentaremos. Ele não “desaparece” depois que é recolhido e levado pelos caminhões, precisa de providências em larga escala para não afetar a saúde e a qualidade de vida. Bem tratado é valioso para nós e para o meio ambiente, pois a partir dele podemos preservar outros recursos.

Um bom trabalho de uma equipe inicia-se com a leitura dos documentos oficiais, interpretação dos textos e desafios, discussão, análise, esclarecimentos de dúvidas e planejamento das ações.

 Passo a Passo do Processo de Pesquisa

Definir o problema e Elaborar pergunta de Pesquisa

lupaO primeiro passo da Pesquisa é uma fase exploratória, uma busca de informações sobre o assunto que facilitará a delimitação do tema de trabalho. Onde fazemos o brainstorming,  nosso toró de ideias, para formulação de um problema claro e que tem como meta procurar uma solução para o mesmo. Definimos o problema em forma de pergunta, por exemplo: “O que acontece quando…?”; “ Qual a causa/importância …?”;  “Que relação pode ser encontrada…?”; “Que demanda…?” .  Precisamos estar atentos quanto à originalidade, relevância, viabilidade e delimitação do estudo – qual “pedaço” do problema estudar mais profundamente. Este é, sem dúvida, um dos momentos mais importantes do processo – a identificação e definição do problema. Portanto é importante que a equipe escolha o algo que envolva e motive todos.

Pesquisar em diferentes fontes de informação

Eu aprendi a pesquisar com minha professora de geografia do 6º ano e o que me marcou foi o que ela disse sobre as fontes bibliográficas que devem ser verdadeiras, de qualidade e que precisamos ter variedade de autores e opiniões para comparar as ideias e informações. O que são consideradas fontes: livros ou capítulos de livros (de leitura oulampada referência, como dicionários, enciclopédias, etc.), publicações periódicas (jornais, revistas, panfletos, etc.), teses, dissertações, trabalhos de conclusão, gravações de áudio e vídeo, acessos online (páginas de web sites), entre outros.

É importante também entrevistar um profissional da área (engenheiro ou consultor ambiental, urbanista, gerentes de sustentabilidade, de contas e de instalações, os catadores de resíduos, os negociantes de sucatas). Depois de pesquisar, elabore perguntas e apresente a solução ao profissional, com certeza ele fará apontamentos sobre seu projeto.

Muitas equipes fazem também pesquisa de opinião, que buscam informação diretamente com um grupo de interesse utilizando questionários, formulários ou entrevistas e apresentam os resultados em tabelas e gráficos analíticos.

É importante registrar tudo o que pesquisaram para montar o portfólio da equipe, mas para entregar aos juízes façam um documento simples já que não há tempo suficiente para a leitura dos trabalhos.

No guia de tópicos no site oficial existem vários recursos citados, em inglês, vou listar alguns que pesquisei:

img2www.cempre.org.br – Compromisso Empresarial para a Reciclagem. Informações sobre reciclagem, empresas recicladoras e coleta seletiva de lixo.

www.recicloteca.org.br – Informações sobre resíduos sólidos, reciclagem.

www.abes-dn.org.br – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária. Informações sobre gestão integrada de resíduos.

www.ablp.org.br – Associação Brasileira de Limpeza Pública (ABLP). Informações sobre empresas municipais e profissionais de limpeza pública.

www.assemae.org.br – Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento. Informações sobre saneamento nos municípios.

www.ibam.org.br – Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam). Promove cursos de capacitação presenciais e à distância sobre limpeza urbana.

www.lixo.com – Informações sobre catadores e sobre lixo.

www.bracelpa.com.br – Associação Brasileira de Celulose e Papel.

www.abividro.org.br – Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro.

www.abepet.com.br – Associação Brasileira de Embalagens de Pet (Abepet).

www.abiquim.org.br – Associação Brasileira de Materiais Plásticos (Plastivida).

www.abiplast.org.br – Associação Brasileira da Indústria de Plástico.

www.funasa.gov.br – Fundação Nacional de Saúde. Linhas de financiamento para limpeza urbana.

www.mma.gov.br – Ministério do Meio Ambiente. Editais para projetos de limpeza urbana e informações sobre recursos repassados pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente – FNMA.

www.youtube.com/watch?v=ibctyQ9aU5k – Lixo Extraordinário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz

Como Funciona o Lixo – Documentário History Channel

Analisar o problema

Este passo está relacionado quando definiram o problema. O que pesquisaram e analisaram sobre o assunto que escolheram. As pesquisas foram superficiais, simples, usaram poucas fontes ou foram profundas, extensivas? Todos da equipe precisam participar e contribuir!

Revisar as soluções existentes

Após definir a pergunta de pesquisa, a equipe precisa analisar as soluções já existentes, verificar o que está atualmente sendo feito para resolver o problema que encontraram para que possam melhorar uma solução que exista ou criar uma nova solução. É importante verificar a originalidade, relevância e viabilidade.

Estes dois últimos itens do processo de pesquisa, nem sempre aparecem nas apresentações no dia do torneio. Fica a dica!

Seguindo esses passos, elaborar pergunta, pesquisar, analisar o problema e revisar solução, seu projeto será bem sucedido.

O problema do lixo não é seu, nem meu. É NOSSO!!!

Abraços a todos e excelente trabalho!  E divirtam-se!

Márcia Chinem

trash

 

 

 

 

Imagens públicas Pixabay

Como definir as missões que farei e a ordem delas? – Parte 2

Olá pessoal, tudo bem? Hoje gostaria de dar continuidade no post anterior e apresentar novas soluções e formas de gerenciar as missões que serão executadas na mesa. O gerenciamento dessas missões é muito importante pois será à partir delas que definiremos as atividades, movimentos, garras e tempo de execução. Vou utilizar o tapete do ano passado como referência ok? Vamos começar?

1- Definição:

Primeiramente vamos definir quais missões eu tenho a maior probabilidade de execução. Para isso, vou circular de verde as que eu tenho maior facilidade de execução agora, as de amarelo serão as que precisarão de mais tempo de estudo e desenvolvimento e as de vermelho as que eu não vou executar por agora (quem sabe no futuro encontro uma solução pra ela).

Missoes1

2- Ativos e Passivos:

Agora que já sei quais são as missões que eu vou desenvolver com o meu time no primeiro momento preciso definir quais são as missões Ativas e Passivas. As missões Ativas são aquelas que utilizam motores para serem executadas enquanto as missões Passivas não necessitam de motores.

Anpassung_endA missão Adaptando a condições de mudanças do ano passado era um tipo de portão que poderia ser acionado simplesmente ao empurrar a área azul. Ao fazer isso tanto o portão amarelo quanto azul eram totalmente direcionados a leste fazendo com que a região ficasse livre para movimento do robô. Essa missão era considerada como passiva pois não necessitava de garras ou outros dispositivos que não fossem o movimento do robô para o acionamento. Outra missão que poderia ser feito sem a utilização de garras era a de levar os bonequinhos (minifiguras) até a área demarcada.

RoboterWettbewerb_startA missão de Braço Robótico era uma missão que precisava ter um objeto inserido dentro da área demarcada que ao ser acionada, movia o braço robótico para liberar uma argola. Várias equipes utilizaram para inserção do objeto um motor com garra, por isso para essas equipes essa foi uma missão Ativa.

ATENÇÃO: Não necessariamente todas as missões serão ativas ou passivas para todas as equipes. Uma missão pode ser ativa para algumas e passiva para outras, tudo dependerá da sua estratégia ok? 😉

Missoes2
Separação de missões ativas e passivas

3- Movimentação

Agora que já temos as duas primeiras etapas, é preciso desenhar a movimentação que faremos e se usaremos a estratégia de:

  • Movimentação passiva – Movimentação do robô onde todas as missões utilizarão construções passivas durante a sua execução. Podem ser utilizadas estruturas de empurrar, puxar ou ativar.
  • Movimentação ativa – Movimentação do robô onde todas as missões utilizarão construções ativas durante a sua execução. Podem ser utilizadas estruturas de acionamento por um ou mais motores (seguindo as regras definidas pela FLL).
  • Movimentação passiva + ativa (A mais utilizada) Consiste na movimentação do robô onde todas as missões utilizarão estruturas ativas e passivas que por sua vez acionarão os objetos das missões durante o seu percurso.

Missoes3

Seguindo a minha estratégia, na Saída 01 passarei por várias missões ativas e passivas. Para isso precisarei focar então em criar garras e movimentos do robô para que ele consiga empurrar, ativar e buscar várias coisas durante o seu percurso. Precisarei então focar meus primeiros treinos na construção e programação dessas atividades. Fácil não é mesmo?

ATENÇÃO: Caso seja necessário, renove suas estratégias de movimentações na mesa, saber observar e analisar as suas alternativas é a melhor estratégia de sucesso. Caso encontre uma saída mais rápida, reorganize suas saídas em ordem de sucesso, tente executar primeiro aquelas missões que você tem certeza que poderá conseguir os pontos e vá aumentando o nível de dificuldade gradualmente. 😉

Sei que esse post é grande, cheio de imagens e explicações que podem ter dado sono não é mesmo? Para você que chegou até aqui nós temos uma surpresa! O AprendaRobótica participou da tradução de alguns softwares para iOS e Android que lhes ajudarão a utilizar e construir as suas missões. Quer conhecer o primeiro deles? Então vamos lá!

O primeiro software se chama FLL 2015 Trash Trek e foi desenvolvido pelo Dominik Vincenz.

Ele possui as seguintes características:

– Marcador de tempo de 2:30
– Quadro de pontos para a temporada FLL 2015 “Trash Trek”
– Possibilidade de calcular os pontos do seu robô enquanto ele executa as missões
– Possibilidade de visualizar os pontos alcançados em cada saída e com análise sua tendência de pontuação

appstore google

O Dominik também fez uma versão mais completa que é paga, o valor é baixo, porém, suas possibilidades de gerenciamento de missões são bem completas, olha só!

O que ele tem de bacana?

– Marcador de tempo de 2:30
– Calculadora de pontos do seu robô enquanto executa as missões
– Quadro de pontos personalizados para a temporada FLL 2015 “Trash Trek”
– Possibilidade de salvar os pontos alcançados em cada saída e possui ainda uma análise sua tendência de pontuação
– Você pode criar sua personalização da tabela de missões para cada saída
– Agrupe as suas missões e veja os resultados de cada saída
– Veja suas pontuações salvas em diagramas
– Faça download dos PDF’s das instruções de construção diretamente pelo aplicativo

appstoregoogle

Bem, com todos esses recursos é possível fazer vários testes de missões, saídas e ainda monitorar quantos pontos vocês estão fazendo em cada saída do robô, não é demais? Agora a surpresa número 2 que é justamente pra você que lê os nossos textos com tanto carinho. Se você quiser uma versão premium, aproveite, temos 15 versões pra serem distribuídas à vocês, para isso, vá no post do facebook e escreva: “Eu quero a minha versão premium! #aprendaroboticameajudaacrescer“. Todos aqueles que responderem até o dia 10/10 as 10h da manhã participarão de um sorteio pra ter a versão premium e todo os recursos do APP gratuitamente (apenas para versão Android OK?)! Será aceita apenas uma entrada por pessoa e o sorteio será divulgado pelo Facebook no dia 10/10 às 12h.

Enfim, por hoje é só! Obrigado a todos pela atenção, pelo carinho e espero que possa ter ajudado mais um pouquinho no desenvolvimento das suas estratégias para essa temporada. Em breve muito mais! Aguardem!

Enjoy!

Gui Lima :p